Share
Time da USL, 3ª divisão dos Estados Unidos, surpreende e tem média maior que o Campeonato Brasileiro

Time da USL, 3ª divisão dos Estados Unidos, surpreende e tem média maior que o Campeonato Brasileiro

O Campeonato Brasileiro de futebol está chegando ao fim com algumas disputas no topo e na parte inferior da tabela. Infelizmente, pouca gente tem visto os jogos nos estádios – a média de público do nosso campeonato está um pouco acima dos 14.000 torcedores por partida.

Ao mesmo tempo, o FC Cincinnati, time criado este ano e que disputa a United Soccer League (USL) – equivalente à terceira divisão dos Estados Unidos -, leva mais de 17.000 fãs ao estádio cada vez que vai a campo em casa. Difícil de entender?

A franquia criada na cidade de Ohio tem a boa presença de público no Nippert Stadium, onde manda seus jogos, como um dos pilares de sua principal causa: chegar à Major League Soccer (MLS).

Em busca desse objetivo, a diretoria da equipe abriu mão de uma das premissas básicas de qualquer negócio: o lucro. Através de uma parceria com a Universidade de Cincinnati, fez do Nippert Stadium, que tem capacidade para 38 mil pessoas, sua casa. E investiu também nos alunos da faculdade, criando pacotes de temporada para estudantes no valor de US$ 50 dólares, colocando o preço médio das entradas para os 17 jogos da franquia em apenas US$ 3 dólares. Além disso, a equipe se mostrou disposta a bancar a taxa de US$ 200 milhões de dólares necessária para entrar na MLS.

Resultado de imagem para fc cincinnati

A meta não é ter uma franquia que dê um enorme lucro imediato aos proprietários. O objetivo é ser uma franquia da MLS. Se a média de público é um critério de seleção, eles investem dinheiro, têm um bom time e não cobram muito pelos ingressos.

A estratégia surtiu efeito e o time quebrou seguidamente o recorde de público da história da Liga, de onde saíram franquias que hoje disputam a MLS, como Orlando City e Portland Timbers.

A avalanche de recordes, evidentemente, chamou a atenção da MLS. O comissário da Liga, Don Garber, já esteve em Cincinnati e admitiu publicamente que o time é um dos candidatos a ser admitido na próxima onda de expansão, que levará o número de participantes da competição para 28.

No entanto, segundo a imprensa americana, alguns itens ainda precisam ser riscados da lista antes que isso aconteça. As principais demandas são na questão da organização da franquia. Para a MLS, é muito importante que os times tenham categorias de base estabelecidas e uma equipe afiliada em uma divisão inferior, onde possam desenvolver seus jovens jogadores. O FC Cincinnati não possui uma coisa, nem outra.

Outra necessidade da franquia é um estádio próprio. Apesar do sucesso de público no Nippert Stadium, a Liga entende que o crescimento do futebol no país passa pelo aumento no número de estádios específicos de futebol. Por isso, todas as franquias admitidas recentemente na Liga já tinha um estádio pronto ou em construção ou, no mínimo, um projeto bem fundamentado de arena, coisa que o time de Ohio também não possui.

Uma nova visita do comissário já está agendada para o fim de novembro, o que mostra que o projeto da cidade segue sendo levado em consideração pela MLS. Se conseguir mostrar um bom planejamento em relação aos itens faltantes, o FC Cincinnati tem boas chances de integrar a MLS em breve. E o estádio estará cheio, esperando…

Deixe um comentário

comentários