Share
San Francisco Deltas, a equipe que pretende revolucionar o futebol para sempre

San Francisco Deltas, a equipe que pretende revolucionar o futebol para sempre

Delta significa “mudança”, “diferença”. Uma palavra de origem grega mas que facilmente pode ser usada para descrever a região de São Francisco, famosa por sediar empresas responsáveis pelas maiores mudanças e inovações na sociedade moderna. Lugar onde pessoas do mundo inteiro se reúnem dispostas a arriscar, tentar algo novo e fazer a diferença em um ambiente cada vez mais competitivo. Como não poderia ser diferente esses são os objetivos do San Francisco Deltas, mais nova equipe profissional de futebol dos Estados Unidos.

Incorporando os valores locais, um grupo de empresários do Silicon Valley se reuniram para colocar em prática um projeto antigo de abrir uma equipe profissional na cidade. Na semana passada, foi anunciado que o San Francisco Deltas vai estrear na NASL em 2017. Meses antes do anúncio oficial, a equipe já possuia um grupo de torcedores que se reuniam para discutir a viabilidade economica do estádio e demais assuntos fundamentais para que o Deltas finalmente pudesse sair do papel.

Assim como muitas empresas de tecnologia famosas da região, que começaram em uma garagem com jovens sonhadores, a equipe também nasceu de maneira espontânea depois de reuniões em pubs, em campos de futebol e da carência da população por uma equipe local, sem que houvesse um investimento bilionário inicial que se vê com frequencia em outras franquias da MLS e da NASL.

“Não há outdoors do Deltas em São Francisco. Não há comerciais passando na TV,” disse Brian Andres Helmick, CEO da franquia em entrevista ao The Guardian. “Passamos nosso tempo em pubs, em campeonatos locais, em escolhinhas de futebol – apenas estivemos por aí, falando com as pessoas”.

Helmick, um colombiano de 39 anos que vive em São Francisco há pouco mais de uma década, decidiu que era hora de iniciar algo novo. À frente da operação da nova franquia desde o início, vendeu sua startup de recursos humanos chamada Algentis em 2014 e deu o pontapé inicial para a criação do Deltas.

Ciente do crescimento da NASL desde que a liga voltou à ativa, Helmick achou que já era hora de a Costa Oeste abrigar uma nova franquia e marcou reuniões com donos de outras equipes. Em julho de 2015, começou a procurar por parceiros dispostos a bancar a ideia. Hoje, assegura já ter os recursos necessários para iniciar as atividades em agosto.

No anúncio da semana passada, o CEO mostrou que o grupo por trás da equipe tem qualificação de sobra para tornar a franquia em um case de sucesso. O brasileiro Ricardo Geromel, ex-sócio do Fort Lauderdale Strikers, também é parte dos investidores envolvidos.

“Um grupo de investidores que tem ajudado a construir empresas como Apple, Facebook, Google, PayPal, Twitter e Yahoo. Profissionais de empresas de capital de risco como Draper Fisher Jurvetson, Felicis e Precursor. Empresários do Brasil que trarão sua expertise do país que mais vezes venceu a Copa do Mundo”.

Sustentado por três pilares ideológicos como transparência, inovação e comunidade, o primeiro é constantemente citado por Helmick. O empresário insiste em ser criterioso quanto aos profissionais que escolhe para trabalhar junto ao novo clube e comentou que é necessário “conhecer as pessoas, respeitá-las profissionalmente e assegurar que tenham afinidade com o esporte”. Apesar da capacidade inquestionável dos profissionais envolvidos, Helmick continua a dizer que são apenas fãs comandando uma equipe.

O Kezar Stadium é cogitado como possível casa do Deltas. Foto: Darek Trusedale
O Kezar Stadium será a casa do Deltas. Foto: Darek Trusedale

O diferencial da nova franquia, porém, será o uso de inteligência artificial para aumentar a experiência do torcedor. Uma das maneiras é através de uma tecnologia chamada smart ticketing, que permite aos torcedores mudarem de lugar a cada partida baseado em seus interesses. Se um torcedor senta com a sua família em um jogo, poderá se juntar a torcida organizada no outro e desfrutar de um clima diferente caso esteja sozinho. Em outras partidas, o torcedor poderá usar a tecnologia para se juntar a torcedores de sua nacionalidade ou que torçam para o mesmo time na Europa, por exemplo. Os torcedores também terão participação direta na vida do estádio, como em votações para definir os food trucks que estarão no local a cada partida.

Dentro de campo, a tecnologia de realidade virtual será fundamental na vida dos atletas. Helmick diz que espera poder usar de VR (sigal para realidade virtual em inglês) para melhorar a performance dos jogadores, como o reflexo dos goleiros, fazendo simulações no treinamento. “Sou um profissional de starups. Não me importo se cometermos erros e não me importo de experimentar coisas novas, com tanto que não estejamos comentendo os mesmo erros”.

Um dos motivos que atrasou o anúncio oficial foi não ter um estádio assegurado para mandar os jogos do Deltas. No dia 17 e março, tudo mudou. A prefeitura local garantiu à nova franquia o direito de gerir o histórico Kezar Stadium pelos próximos 5 anos. O local abrigou o San Francisco 49ers, da NFL, entre 1946 e 1970.

Nas duas semanas em que aconteceram as audições, a prefeitura recebeu cerca de 1.400 cartas da população que se manifestaram sobre a concessão do Kazer Stadium. Apenas 23 foram contra. Mais de 200 pessoas compareceram às audições e cerca de 50 falaram em favor do Deltas.

Como parte do acordo, o novo clube irá pagar 460 mil dólares em reformas no local, oferecer 3.000 ingressos por 20 dólares ou menos a cada jogo e doar outros 200 para instituições infantis sem fins lucrativos, como escolas públicas.

Com todas as burocracias resolvidas, o grupo agora trabalha para aumentar o staff dentro e fora de campo e esperam anunciar seu treinador nos próximos meses. Peneiras para selecionar os primeiros atletas devem ser marcadas em breve. Apesar do trabalho que ainda há pela frente, Helmick diz que nunca deixará de conversar e se encontrar com a comunidade local, principalmente seus torcedores: “Um fã de cada vez. Acredito que temos de escutar tanto quanto falamos”.

Vídeo de lançamento do San Francisco Deltas:

Foto: Divulgação

Deixe um comentário

comentários