Share
Cinco Momentos: Portland Timbers e a MLS Cup 2015

Cinco Momentos: Portland Timbers e a MLS Cup 2015

O Portland Timbers é campeão da MLS Cup 2015. Celebrar o titulo mais importante do futebol nos Estados Unidos é algo sensacional. Ainda mais para a cidade das rosas que não é acostumada a ganhar muitos títulos relevantes. O time comemora a surpreendente conquista. E levantar esse troféu antes do maior rival tem sabor especial.

Separei cinco momentos importantes e que marcaram a conquista da MLS Cup 2015.

28 de junho de 2015: ESSE DIA FOI LOKO

adi

Segundo clássico no ano, mas o primeiro com transmissão no Brasil. Então você se pergunta: mas por qual motivo o primeiro não foi transmitido? Time do Kaká jogou no mesmo horário. Mas vamos esquecer isso. MAIOR CLÁSSICO DE FUTEBOL DOS ESTADOS UNIDOS. Valia ponto para a temporada regular da MLS e para a Cascadia Cup.

A campanha do Timbers era bastante irregular até então. Para agravar a situação, o time já havia disputado outros clássicos, onde perdeu para Seattle e Vancouver, além de um empate com os canadenses.

O jogo: Darlington Nagbe abriu o placar. Lamar Neagle empatou. Fanendo Adi, duas vezes, e Rodney Wallace marcaram para o Portland. Foi nesta partida que a fantástica foto do Adi segurando a serra elétrica foi tirada. Como primeiro clássico na TV brasileira, a repercussão foi tamanha. A maioria das pessoas aqui em nosso país tem uma visão escrota da MLS, como uma copa de condomínio, etc. Aquele cara chato que só reclama e fica falando “morte ao futebol moderno” viu BANDEIRAS, FUMAÇA, MOSAICO, GESTOS OBSCENOS, etc. Tenho certeza que o time ganhou torcedores nesse dia. PQ FOI LOKO!!!!!

Link: Melhores momentos da partida

A arrancada final e a goleada no campeão


O Timbers estava em situação delicada no dia 14 de outubro. O time ainda tinha três jogos pela frente e uma perspectiva muito vaga sobre a ida aos playoffs. É tão verdade que a maioria dos jogadores já tinha passagens compradas para viajar em novembro. O clube estava fora do G6, com 44 pontos.

A reação começou neste dia que falei, quando bateram o Real Salt Lake por 1 a 0, fora de casa. Com o resultado, o Timbers passou o SJ e entrou na zona de classificação para os playoffs. Na rodada seguinte, a penúltima, um encontro muito difícil: LA Galaxy no Caldeirão de Carson. E o time de Oregon venceu por 5 a 2. Foi um grande jogo e uma virada histórica. Na última rodada, a equipe bateu o Colorado por 4 a 1 e assegurou o terceiro lugar no oeste.

LOUCURA: O JOGO QUASE INFINITO; A CONSAGRAÇÃO DE UM GOLEIRO

Madrugada do dia 29 para 30 de outubro. Três horas da manhã e eu estava tomando água com açúcar. O resto é história.

nas duas traves SKC

Knockout Round dos playoffs da conferência oeste, jogo único. Os gols só aconteceram no segundo tempo: Rodney Wallace abriu o placar e Kevin Ellis empatou no fim do tempo normal. O tempo extra veio: Krisztian Németh colocou o SKC na frente, mas no fim da prorrogação, aos 118 minutos, Max Urruti empatou. As penalidades foram coisas de outro mundo. O Kansas é conhecido por ser um time que não treme na hora dos pênaltis. Mas essa história não se repetiu. Não há palavras para explicar isso, só vendo o vídeo. Adam Larsen Kwarasey e Jon Kempin. Não esqueçam esses nomes. Ah, o cara que perdeu o primeiro pênalti da série foi eleito o MVP da final. Eu amo o futebol.

Links: Gols da partida / Todos os pênaltis

O título: Columbus 1 x 2 Portland


A grande final da MLS. Dia 6 de dezembro de 2015. Enquanto preparava o notebook, ligava a TV, colocava no canal, abria meus perfis nas redes sociais, lia as mensagens dos amigos e fãs do projeto, eu lembrava tudo sobre as duas equipes. Passou-me pela cabeça os jogos que assisti dessas equipes. Inclusive, lembrei-me de um Crew x Timbers, no Mapfre Stadium, dia 26 de setembro. O placar? 2 a 1 para o Portland.

Os gols, os lances, o que aconteceu vocês já sabem. Vou contar aqui minhas impressões a respeito desta final. Terminei de postar os tweets pré-jogo e postei aquela tradicional frase de “bola rolando”, ou algo do tipo. Recuaram a bola para o goleiro e eu disse: “aperta, Valeri”. Ele apertou. A bola entrou.

O segundo gol aconteceu. Sim, foi um erro grotesco da arbitragem. Claro, foi uma marca da MLS. Não só nesta temporada, mas em outras. Eu sabia que um erro aconteceria. “Marrufão da massa” e seu assistente não viram que a bola saiu quase uma jarda. Gol do Portland. O Columbus diminuiu com Kamara, que não jogou 100%. Vamos falar a real, o jogo não foi brilhante, nem emocionante. Foi muito tenso, bastante. Mas isso não pode ser levado em consideração. Final não se joga, ganha! Portland campeão da MLS Cup.

Link: Melhores momentos da final

A cidade que respira futebol comemora! Viva cidade das rosas

Toda comemoração de título é igual? Não. Tenho coisas a destacar: o jogo foi fora de casa, logo, maioria do Crew. Quando o árbitro apitou a maioria ficou calada. Normal. Mas os torcedores do Timbers que viajaram até Ohio fizeram muito barulho.

Outro ponto que quero abordar é o famigerado levantamento de taça. Você aí apaixonado por futebol já deve ter visto centenas de “levantamentos” na vida, seja do seu time, da seleção ou do rival. Quem ergue o troféu pela primeira vez? (você tem cinco segundos para responder: pronto. Agora responda). Não, caro leitor, não foi o capitão. O Merritt Paulson, dono do time, recebeu o Philip F. Anschutz Trophy e o levantou.

12314115_10153794777882236_8701725293696371003_n

Depois, Liam Ridgewell e Will Johnson fizeram as honras. Isso não é NFL ou NBA caras!!! E nem me venha falar que é cultura americana, pois não é. Keane levantou em 2014 e o Jimmy Nielsen em 2013. O dono do time levantar a taça é errado? Não, mas é muito estranho.

Os caras saíram de Columbus, viajaram no avião da patrocinadora e chegaram a Portland ao melhor estilo Brasil em 2002. Festa, muita festa. A parada aconteceu dois dias depois. Muita gente nas ruas, comemoração que só acabou no Providence Park. Teve cantos contra Seattle, teve jogador imitando o Vampeta, teve lenhador com serra, teve tora de madeira. Tudo. Ou quase. Valeu tudo?

A cena do Garber falando, o corte para a imagem da torcida e a moça mostrando o dedo do meio, é para imprimir e colocar na parede da sua casa. O Borchers cortando a barba foi massa também.

Essa é uma singela homenagem do MLS da Depressão para o Portland Timbers e seus torcedores. Parece que não são muitos, já que liberei o clubismo e pouca coisa aconteceu. Se vocês soubessem o que aconteceu quando o clubismo foi liberado após a MLS Cup 2014, ficariam enjoados.

Acompanhe a MLS da Depressão no twitter e facebook

Deixe um comentário

comentários